Tardes I

A neblina esconde a pedra

que se recolhe e se entrega

protege-se

dos olhares humanos

Gosta da umidade

estonteante do céu

descida para o encontro,

a bruma branca esconde o centro amoroso

que fecunda,

carícia úmida nutre de cosmos

seus poros minerais

abertos à oferenda desejada

Fusão interior,

em transbordamento,

libera o orvalho declarado da manhã

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s